Ganja e Saúde

É cediço que há alguns anos atrás discutir sobre a cannabis era praticamente impossível, já que o preconceito era maior do que se mostra na atualidade.

A Ganja era tida como uma droga negativa aos olhos da população, mas após tantas discussões que levaram em pauta benefícios medicinais da erva, aos poucos o cenário vem se alterando.

No Brasil, desde que a ANVISA permitiu a importação de medicamentos a base de cannabis, o número de autorizações para tal subiu consideravelmente.

Segundo dados, existem cerca de 14 mil pedidos de autorização de importação de CBD em andamento na Anvisa, e 12,5 mil já foram aprovadas.

Isso significa dizer que, em cada 5 pedidos 4 são aprovados, ou seja, o cenário da Ganja está crescendo e ganhando visibilidade no país que há poucos anos, nem discutia essa realidade.

O aval dado pela ANVISA vence com 12 meses, e mais de 56% dos pacientes pediram a renovação e obtiveram sucesso, graças às discussões sobre a Ganja no Brasil.

Em números, a Justiça teve 64 pedidos de habeas corpus e 51 conceções, sendo 16 apenas no Estado de São Paulo, de novembro de 2016 até novembro de 2019.

O advogado e membro da Comissão de Direito Médico e de Saúde da OAB- SP Leonardo Sobral, conta que no Brasil existe apenas um remédio a base de cannabis registrado, o Mevatyl, que custa 2800 reais.

Deste modo, o advogado entende que o Estado não pode mais ser inerte a respeito da cannabis medicinal, e deve regulamentar o quanto antes possível.

E você, o que pensa deste tema? Ganjalize-se.

Fonte: Wanderley Preite Sobrinho/UOL