Visibilidade para Ganja!

O Projeto 4ª Arte, na Unifei contou com a presença de palestrantes que defendem a maconha como remédio.

Entre eles o médico Paulo Fleury, que foi um dos primeiros médicos do Brasil a prescrever as substâncias CBD e THC da cannabis, e vem fazendo isso há mais de 6 anos.

Fleury palestrou na Unifei, na Associação de Pais, Amigos e dos Excepcionais (APAE) de Itabira no dia 13 de novembro, e na Associação Mineira de Saúde Popular (Amisp).

A ideia foi mostrar para as pessoas que usar compostos do CBD e THC tem sido uma saída para o sofrimento de muitas famílias com acesso a essa realidade.

Deste modo, Fleury explica em sua palestra que o uso medicinal da Ganja é histórico, citado até na bíblia em Êxodo 22-25, onde Deus ensina a Moisés a receita de um óleo sagrado, que segundo o palestrante, seria a erva sagrada.

A proibição da maconha, segundo Fleury, favorece as indústrias farmacêuticas que não acham interessante a prescrição da cannabis medicinal, já que o próprio usuário conseguiria produzir o remédio natural.

O médico diz que prescrever a cannabis está dentro dos limites da ética e das regras institucionais de medicina, e por isso o faz com muita tranquilidade, e lembra que a ANVISA liberou a prescrição do CBD e o THC.

Ganjalize-se.

VILADEUTOPIA. Maconha é defendida como remédio por médico em palestras em associações itabiranas e no projeto 4ª Arte, na Unifei. Saude. 2019. Disponível aqui. Acesso em: 26 nov. 2019.